A Ciência da Magia Quântica

“Oi, eu sou o Goku!”. Opa, frase errada…

E aí cambada!

Aqui quem vos fala é um fã e desenvolvedor do jogo mais interessante desse nosso globo. O Role playing game (R.P.G). Ou ainda o conceito (J.I.P.) Jogo de Interpretação de Personagem. Mas esse termo não ficou muito bom eu sei.

Eu sou o Giovani e estarei contribuindo para este blog maravilhoso que representa não só a nossa cidade, mas também o quadro de R.P.G nacional. Com matérias novas e com certa frequência.

Tentarei postar textos dos mais variados sistemas de regras e cenários, uma vez que tenho conhecimento sobre alguns. Como G.U.R.P.S 3ª edição, 3D&T Alpha, Daemon, Historyteller, D&D 3ª e 4ª edições e também idéias novas e alternativas para conceitos antigos.

Nós vamos nos ver bastante por aqui.

Nota: Título sugerido por Francisco Martellini

 ———————————————————————–

Nesse primeiro post, falarei sobre uma velha conhecida dos jogadores de J.I.P. A magia.

Aqui trarei uma nova visão sobre a mecânica de magia. Que pode ser usada em qualquer cenário que comporte a idéia.

Esse sistema de magia que criei, é baseado totalmente na ciência que estuda as partículas. Portanto, você encontrará idéias e conceitos sobre física quântica. Espero que gostem.

Os Elementos

Para falar sobre magia é indispensável que eu cite os elementos químicos existentes, os conhecidos. Não sendo necessário o entendimento sistemático das características e tendências dos átomos, falarei apenas superficialmente, de maneira fácil, sobre a mecânica do sistema de magia.

É do conhecimento de muitos que, átomos e moléculas detêm um comportamento e composição diferentes em suas muitas formas de agrupamento, determinando assim elementos variados. Exemplo: O gás Helio é formado por uma junção de um próton, um elétron e um nêutron, tornando-se mais leve que o oxigênio.
O fator que determina sua característica é sua composição atômica. Portanto, tudo que conhecemos tem sua própria formação atômica. Assim, podemos entender os elementos de uma forma mais aprofundada, mais íntima.

As Energias

Um mago, após ter estudado a composição dos elementos, está um passo a frente em seu aprendizado e começa então a estudar as energias necessárias para o funcionamento de seus objetivos acadêmicos.
Partindo para essa fase, um mago precisa saber e entender sobre as mais variadas formas de energias, principalmente as que regem os átomos. Energia eletromagnética é um exemplo de energia estudada.
O cérebro é um grande dispersor de energia e essa energia dispersada, poderia ser usada a favor de um mago no exato momento em que ele tenta controlar a composição de um elemento; fazer uma magia.
Usando um rigoroso estudo e treinamento, um mago é capaz de mover e mudar as partículas atômicas, controlando sua energia de maneira a formar novas composições. Gerando assim, novos elementos. Como por exemplo; a água é uma substância líquida de muita importância para todos os seres vivos. Sabe-se que ela é encontrada, até mesmo dentro dos corpos dos seres vivos. Sabe-se ainda que a água é formada por dois átomos de hidrogênio e um átomo de oxigênio. Como poderíamos criar água, magicamente falando?
O mago conhecedor das energias que regem tais átomos de hidrogênio e oxigênio, também o formato angular da água, bem como sua estabilização de energia; com a dispersão certa de energia cerebral, poderia retirar do ambiente a sua volta oxigênio e hidrogênio para serem manipulados pelas energias cerebrais e criar água a partir do cenário a sua volta.

Qualquer elemento tem sua composição atômica e poderia ser criado a partir dessa técnica.

Os Efeitos Colaterais

Deixando a parte boa e inspiradora da magia de lado, precisamos entender que a magia gera suas conseqüências inevitáveis no ambiente em que é usada. Usando novamente o exemplo da água, podemos dizer que uma quantidade X de água está sendo criada magicamente. Automaticamente, podemos afirmar que uma quantidade X de oxigênio e hidrogênio está sendo retirada do ambiente em que o mago se encontra. Ao se desfazer outros elementos, energias estão sendo dispersas e elementos estão sendo desfeitos. Coisas como falta de oxigênio no ar podem ser nocivos; coisas como explosões devido à dispersão descontrolada de energia podem ser fatais para o mago que não dominar as técnicas necessárias para se fazer uma magia. Esse tipo de evento, essa conseqüência da magia é denominada Carma, pelos magos.

Carma

Carma é uma palavra de origem oriental e religiosa que exala o significado de que os “homens” causam reações as suas ações. A própria ciência usa essa idéia em uma frase que define uma lei física. “Para toda ação existe uma reação de força equivalente em sentido contrário”.
Em nosso sistema de regras e dentre os magos, chamaremos de Carma toda e qualquer conseqüência indesejável gerada pela magia. Coisas como pequenas explosões subatômicas que causariam a morte, deficiência e deformação física.
Os efeitos são de uma variação imensa, pois, tudo depende da reação dos átomos e o ambiente em que a magia foi feita. Relatos de chuvas coloridas, luzes com odores fortes, fumaças barulhentas e qualquer, qualquer coisa que a mente puder imaginar.
Existe uma lógica a ser seguida, para que não aconteçam coisas como, surgir fogo sobre o mar em um temporal onde, um mago tentou acalmar o vento e acabou errando a magia, fazendo assim pelo Carma, surgir fogo sobre a água.

Seria mais correto associar o Carma a magia e o ambiente em que a magia foi feita, bem como as reações possíveis das partículas pertinentes.
É possível acontecer também, efeitos metamágicos como Carma. Um exemplo disso seria o mago perder as faculdades mentais, perder a sua capacidade mágica.

Nota

Existe certa responsabilidade de um mago com a realidade e com o meio ambiente. Magias de níveis muito altos quase nunca são permitidas. Uma pela destruição que pode ser causada e outra é pela possibilidade de que seja exposta a sociedade tais poderes.

Como Funciona?

Outra deficiência da magia, é que todo usuário acaba exausto após realizar efeitos grandes ou prolongados, magias épicas ou demoradas. Isso se deve pela energia usada pelo cérebro na hora exata da execução da magia. Em outras línguas, todo mago é limitado pela sua capacidade mental. Em termos, a personagem obtém um determinado número de pontos que representarão a sua capacidade de produzir efeitos mágicos.

Enfim

Para finalizar está matéria sobre essa forma alternativa de magia, gostaria de dizer que essa idéia pode ser aprimorada e expandida. Portanto, comente sobre a matéria!

Eu procurarei trazer sempre novas idéias sobre temas conhecidos e familiares. Como a magia.

Vale lembrar que idéias novas ajudam e contribuem com a diversidade. Eliminando o “mesmismo” e faz com que o nosso cenário “rpgístico” não caia na rotina com sistemas de magia provenientes de entidades apenas; e jogos sempre baseados no combates em masmorras.

“Cada um de nós é um universo, Pedro.”

Até mais!

Anúncios

2 comentários

  1. Bem, eu não pude estar no último evento por motivos de saúde, mas espero em breve estar presente em mais um encontro e mestrar mais uma aventura.

    Logo, pretendo também escrever mais algum texto.

    Curtir

Qual é a sua opinião a respeito?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s