Wallthengor: O Mito da Criação

Pessoal, venho mais uma vez trazer uma idéia nova e que pode ser usada em algum jogo. O conceito dessa história de criação é novo, mas tenho certeza que pode ser aproveitado.

———————————–

Não mais sou que um insensato, mas posso garantir que nada se sabe acerca do mundo antes disso que vos contarei agora.
Uma entidade única e suprema em poder, chamada Aunóting abrigava a dualidade e o equilíbrio na forma de criatura, e essa criatura era o centro e o meio. Ela não possuía forma e essa entidade chamada Aunóting dividiu-se em duas partes distintas e cada uma expeliu sua vontade sobre o Nada. Uma entidade chamava-se Eros e a outra Wynu.
Assim a primeira lei começou a reger o mundo. Para tudo que Eros criava, Wynu criava uma contraparte equivalente. E eles criaram juntos seus três filhos.

No início coexistiam os deuses filhos de Eros e Wynu. E eles eram chamados de Oro, Ato e Hon. Isso foi há bilhões de anos e em uma época em que o universo ainda não havia sido criado.
Oro é o espaço ilimitado ou infinitamente grande, que contém tudo dentro de si e que é campo de todos os possíveis eventos, sejam visíveis ou invisíveis. A Oro foi dado à onipresença por seus pais.
Ato é matéria primordial que ocupa lugar no espaço. Ato é aquilo que existe, aquilo que dá forma a tudo que habita e pode ser observado como tal; Ato é energia. A Ato foi dado a onipotência.
Hon é o tempo universal que mede e observa a duração entre acontecimentos. Hon é a medição que seqüencia eventos e é responsável por quantificar o movimento de tudo que existe. A Hon foi dada a onisciência.
Juntos, eles representam a totalidade de Eros e Wynu e foi assim que o universo surgiu.

A Criação

Ato, á partir de um estado extremamente denso e quente, após reunir todo o seu corpo e energia em um único ponto, causou uma explosão térmica que dispersou matéria e energia por toda Oro em constante mutação, enquanto Hon ficou responsável por contar a seqüência de eventos á partir dessa explosão chamada de Omori.
A reação dessa explosão combinada aos Aghar gerou filhos e filhas. Milhões espalhados por Oro e a esses deuses foi dado o nome de Nanphi.
Os Nanphi são deuses imensos, com vários braços em forma de espiral e esses braços estão cheios de outros deuses menores. Cada Nanphi usou da energia, da matéria, do espaço e do tempo para criar, de maneira sistemática os seus filhos e filhas e esses deuses, filhos dos Nanphi, foram chamados de Nüvar.
Os Nüvar são responsáveis por trazer luz e calor ao universo e seu brilho pode ser visto por qualquer ser dentro de Oro. São criaturas com poder de destruição descomunal e possuem uma forma esférica. Seu poder é tamanho que não pode ser contido dentro de si próprio e jorra essa energia em forma de explosões por todo o universo. Levando luz e calor a todo lugar.
Por último, os Nüvar criaram, através da junção de poeira cósmica em rotação, aquecendo-as e por meio de violentas reações químicas, os seus filhos chamados Plama. Os Nüvar cuidam de seus filhos por milhões de anos, quando sua vida chega ao fim e sua força mata sua prole, levando consigo toda sua descendência.
Os Plama são corpos complexos e o Plama que conhecemos é filho do Nüvar Koristhempolar e é chamado de Walltenghor.
Walltenghor tem sete irmãos, Sinfo, Onas, Consomar, Austir, Sonatur, Onu e Portu; com sua força, Walltenghor reteve gases para gerar uma atmosfera primitiva, enquanto vários processos foram criados para a fusão de matérias. Os elementos mais pesados como Hinis e o Belxir migraram para o seu interior; os mais leves localizaram-se na superfície.
Por milhões de anos, Walltenghor sofreu mudanças de temperatura, resfriamento, vapor, até que finalmente sua atmosfera foi criada com nitrogênio, oxigênio e argônio. A terra se ajustou em placas e muitas chuvas, gelos e degelos fizeram com que a vida fosse possível no local.
Finalmente o corpo de Walltenghor estava pronto para ter filhos e assim, de forma natural, a vida tomou forma. Walltenghor foi o primeiro a ter filhos.
Isso porque seus irmãos não quiseram gerir uma prole.
Primeiramente toda a criação foi dividida em três reinos: mineral, animal e vegetal; e uma raça foi escolhida para reinar em cada reino, de maneira que estaria sempre sobre os outros de sua raça.

Var

Ligados ao reino mineral e reis desse reino, foram criados os Var.
O poder da terra regeu seu nascimento e assim, dos restos e da morte de tudo que já existia, os Var emergiram das profundezas da terra e vislumbraram o mundo de Wallthengor e o corpo de seu pai criador.

Comun

Ligados ao reino animal e reis desse reino, foram criados os Comun.
Um sábio outrora disse que os Comun descendem do mundo onde as idéias são formadas e que seu instinto de liberdade faz com que sejam únicos. Os ventos sopram o destino dos Comun.

Ultar

Ligados ao reino vegetal e reis desse reino, foram criados os Ultar.
Criaturas extremamente ligadas a Wallthengor, os Ultar são imparciais, perfeitos e exalam a inocência perigosa da natureza vegetal e das florestas; a vida toma forma diante de seus poderes. Sempre escorreram pela história, vencendo as rochas que se opunham em seu caminho, de forma paciente, porém constante.

Anúncios

3 comentários

  1. Já conhecia o texto, do site original do Giovanni, mas, mesmo ao lê-lo (será que tá certo essa palavra?!?) fico abismado com a capacidade que ele teve de transportar conceitos ora científicos, ora religiosos sobre a criação do mundo, para um enredo fantástico como este.

    Acredito, humildemente, que esta capacidade de “brincar” com esses conceitos, poderiam ser aplicados em áreas importantes do desenvolvimento humano, seria muito mais divertido entender o “big bang” dessa forma do que o simples “BUMMM!!” que nos foi ensinado, e também na religião, já que nesse texto não só a tolerância à visão científica é estimulada, na verdade, a meu ver, há uma simbiose dessas partes.

    Pode-se ainda presumir, pela forma como o texto é explorado, como o autor, pessoalmente, deve lidar com tais indagações, fugindo do senso comum que incita o indivíduo a escolher um dos lados, e indo para uma abordagem bem mais simples, longe de algum tipo de preconceito.

    Curtir

  2. Você gostou disso, hein Giovanni (primeiro comentário)? Ficou muito chique! E concordo com o post, acho que você explorou os conceitos muito bem, como é de costume você fazer. Excelente!
    Li, já, já aparece o pod!!!

    Curtir

Qual é a sua opinião a respeito?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s